• Marcio Funchal

Projeções Mundiais para o PIB em 2021 e 2022

Coluna mensal elaborada à pedido da Revista O Papel/ABTCP - Coluna Gestão e Estratégia - Edição de Junho de 2021.


Neste mês, a coluna de Gestão e Estratégia traz um resumo das recentes projeções da OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico ou Econômico. Em 31 de Maio de 2021, a organização publicou seu mais recente levantamento, estimando a evolução do PIB (Produto Interno Bruto) das principais nações ao redor do globo para os anos de 2021 e 2022.


Operando em um cenário de pandemia do SARS – COVID/19, o PIB de todas as nações foi drasticamente afetado em 2020. A partir do 1º Trimestre de 2021, ainda sob efeitos da crise sanitária, cada país tem apresentado uma trajetória distinta em termos de retomada das condições econômicas, após fortes paralisações de cadeias produtivas e lockdowns em diferentes esferas e intensidades.


Para contextualizar, vale lembrar que a OCDE representa atualmente a economia de 38 países membros (Estados Unidos, Canadá, muitas nações Europeias e outros países diversos como Japão, Eslovênia, Coréia do Sul, Chile, Colômbia e etc.), mais 5 países chamados de parceiros estratégicos, dentre os quais o Brasil se encaixa, juntamente com China, Índia, África do Sul e Indonésia.


Além disso, nesta análise, todos os dados de evolução do PIB são em termos REAIS, ou seja, já foram descontados os efeitos inflacionários. Por fim, a trajetória do PIB de todos os países selecionados neste artigo segue a mesma perspectiva: (a) crise econômica em 2020, culminando com PIB mais baixo do que em 2018/2019, (b) um crescimento forte do PIB em 2021, em razão de partir matematicamente de uma base mais fraca, e (c) uma redução do ritmo de crescimento do PIB em 2022, trazendo a trajetória novamente para um cenário evolutivo mais próximo dos níveis pré-covid.


A Figura 1 mostra a trajetória do PIB nos últimos anos e as projeções para 2021 e 2022. Em termos mundiais, tivemos um crescimento médio anual do PIB pouco superior a 3% a.a. desde 2015. Esta trajetória foi interrompida em 2020 com a pandemia, o que resultou numa retração do PIB mundial em 3,5%. Saindo da recessão, projeta-se um PIB mundial crescendo quase 6% em 2021 e retornando a um patamar mais normalizado na casa de 4,4% em 2022.


Comparativamente, a trajetória do PIB dos países representados pela OCDE e pela Zona do Euro, para o mesmo período avaliado, é bastante similar, porém em intensidades distintas. Ao final do período, as projeções apontam para uma performance econômica um pouco inferior para o grupo dos países da OCDE (crescimento do PIB de 3,8% em 2022), e uma certa similaridade para os países da Zona do Euro (aumento do PIB de 4,4% no mesmo ano de referência).


A Figura 2 mostra a trajetória do PIB para os países em destaque da América Latina, comparativamente ao desempenho mundial. A Argentina é quem possui a maior volatilidade do indicador. Além disso, é quem teve a maior crise econômica dentre os citados (9,9% de queda do PIB em 2020), assim como deverá apresentar o menor crescimento em 2022 (1,8%, menos da metade da média mundial). O Chile terá uma boa retomada econômica, após forte redução de 6% em 2020, fechando 2022 com crescimento estimado de 3,5%. O Brasil recentemente divulgou dados trimestrais que corroboram as projeções da OCDE: crescimento do PIB em 2,5% para 2022, após uma retração da ordem de 4% em 2020.


As projeções para os países da América do Norte estão consolidadas na Figura 3. O comportamento do PIB dos 3 países selecionados é muito similar entre si e também em comparação com o PIB global. Contudo, para 2022, o crescimento do PIB será escalonado nesta sequência: México (3,2%), Estados Unidos (3,6%) e Canadá (3,8%), todos abaixo da média mundial de 4,4% para o mesmo período.


A comparação com os Europeus pode ser vista na Figura 4. Aqui também há bastante similaridade do comportamento do PIB, ao longo do horizonte avaliado, entre todos os países em destaque. O Reino Unido teve uma retração econômica muito séria em 2020 (9,8%, mais do que o dobro da média global), mas é projetada uma forte retomada da economia, com crescimentos do PIB de 7,2% e 5,5%, respectivamente, para os anos de 2021 e 2022. Alemanha e França devem encerrar 2022 com crescimentos do PIB de pelo menos 4%.


No caso dos países Asiáticos (ver Figura 5), um destaque importante é para a China, único país no mundo que apresentou crescimento real do PIB em 2020, mesmo com todas as adversidades da crise sanitária mundial. Para 2022, a projeção é que o crescimento do PIB seja de 5,8%, ligeiramente abaixo do patamar pré-crise (média anual de 6,7%). Outro destaque válido é a Índia, cujo PIB apresentou retração de 7,7% em 2020, mas que apresentará o maior crescimento do PIB projetado pela OCDE para 2022: 8,2%, quase o dobro da média global.


É importante destacar que estes dados representam a visão atual das condições econômicas futuras dos países citados. É perfeitamente natural que estes patamares se modifiquem com o tempo, à medida que novas atualizações forem sendo disponibilizadas ao público, em razão das novas situações da economia global e as consequências do combate à doença forem surgindo. Contudo, o importante neste momento, é considerar que os indicadores atuais são positivos e que os países devem se preparar positivamente para uma retomada importante do crescimento econômico de suas nações e cidadãos no cenário de curto prazo.



Coluna mensal elaborada à pedido da Revista O Papel/ABTCP - Coluna Gestão e Estratégia - Edição de Junho de 2021.


26 visualizações0 comentário